REFLETINDO SOBRE AS MINHAS PERDAS…

Então ela, com muito esforço, com o corpo desfalecido e cheia de dor, olhou para mim pela última vez, segurou minhas mãos, deu um último suspiro e partiu para a eternidade…

E eu, sozinho como nunca, senti o peso pesado das minhas enormes perdas!

Senti que tinha perdido minha doce namorada que compartilhou comigo uma vida toda de imensa ternura e emoção.

Senti que tinha perdido minha amada amante que me elevou ao paraíso com inumeráveis e sublimes momentos de muito amor, prazer e doação.

Senti que tinha perdido a pessoa amada que cuidava de mim e de tudo que fazia parte da minha vida, sempre pronta a se doar e sem nada querer em troca.

Senti que tinha perdido a minha maior e melhor amiga, sempre pronta para me ouvir e me apoiar nos momentos mais difíceis da minha vida.

Senti que tinha perdido a minha companheira de lutas, sempre firme e ao meu lado em busca do bem estar da nossa família.

Senti que tinha perdido a mãe das minhas filhas, que sempre as criou e educou com imenso carinho e dedicação.

Enfim, Senti que tinha perdido o maior, o mais valioso e o mais lindo de todos os presentes que Deus tinha me dado!

Então, entre lágrimas e dor, caminhando sem rumo entre ruas, estradas e caminhos, eu comecei a sentir que, apesar das perdas, eu também tinha ganhado, com a Graça Divina, uma quantidade enorme de coisas que ela tinha me deixado e que possuía um valor incomensurável!

Comecei a sentir que tinha ganhado três filhas maravilhosas, cabeças-feitas, frutos do nosso amor, que não me deixavam sozinho e cuidavam de mim de maneira carinhosa e incansável!   

Comecei a sentir que tinha ganhado dois grandes genros que se transformaram em verdadeiros filhos, postando-se ao meu lado com seus ombros amigos nos momentos de dor!

Comecei a sentir que tinha ganhado uma netinha linda, um anjinho doce e meigo que tinha vindo do céu para amenizar as dores e alegrar minha vidas.

Comecei a sentir que tinha ganhado uma sogra que não era sogra, mas um mãe amorosa que afagava meus cabelos com carinho nos momentos de choro.

Comecei a sentir que tinha ganhado uma família acolhedora, com irmãos que compartilhavam comigo a todo instante a minha dor, rezando ao Pai dos Céus para me dar forças e me dando todo o apoio que precisava.

Comecei a sentir que tinha ganhado grandes e inesquecíveis amigos que se transformaram em verdadeiros irmãos, me acolhendo, me dando um abraço gostoso e enxugando minhas lágrimas.

Comecei a sentir que tinha ganhado a oportunidade de aprender com a minha esposa e com seu sorriso irradiante que a vida, apesar de tudo, é bonita, é bonita e é bonita e pode ser bem melhor e será!

Comecei a sentir que tinha ganhado uma vida inteira ao lado dela, com momentos inesquecíveis, maravilhosos, de muito amor, muita espiritualidade, muita paz e muita alegria que ficariam eternamente gravados no meu coração e na minha memória e nunca iriam se apagar!

Comecei a sentir que junto dela tinha ganhado, apesar da dor, uma fé inabalável em Deus que, na sua imensa Sabedoria, sabe o que é melhor para nós seus filhos e nunca iria me desamparar.

Enfim, comecei a sentir que, depois de tanta tribulação, ela estava em paz, infinitamente feliz junto do Pai Eterno, cuidando de nós em outra dimensão.  

E assim, eu vou sentindo e aprendendo que a vida é trem bala parceiro e, como um velho boiadeiro tocando a boiada, com força e com fé, eu vou tocando em frente, andando devagar por que já tive pressa e já sofri demais. Vou aprendendo quetodo mundo ama, que um dia todo mundo chora e que um dia a gente chega e no outro vai embora! …

E assim, levo para sempre comigo, como um mantra, a beleza celestial do sorriso e dos exemplos dela, tentando aprender a me sentir a cada dia mais forte e mais feliz, como ela sempre me quis!

Cesarius Dica Cultural

“Cousas e Causos” na Livraria São José de Mariana e Ouro Preto

Cesarius Dica Cultural

ORÇAMENTO DOMÉSTICO FAMILIAR

“Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem como a acabar” (Lucas 14:28)

Responda com sinceridade: você consegue afirmar com exatidão quanto você gasta mensalmente com cada uma das suas despesas familiares? As suas diversas despesas mensais com alimentação, moradia, saúde, educação, transporte entre outras estão abaixo, acima ou dentro do previsto?

Se você tem isto tudo devidamente anotado e consegue responder a estas duas perguntas com exatidão, parabéns, por que o grande problema é que, infelizmente, a grande maioria das pessoas não tem nem noção do que estamos falando, por incrível que possa parecer!

Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio, CNC – o endividamento das famílias brasileiras atingiu 66,5% em outubro de 2020. Provavelmente esse índice tenha aumentado bastante com o agravamento da crise do Corona Vírus em 2021. Estudos indicam que os problemas financeiros são uma das principais causas de separação de casais. A falta de um orçamento doméstico contribui enormemente para o agravamento desse problema.Vejamos então, em um passo a passo, um método simples e prático, com base na Metodologia PDCA, (Planejamento – Plan, Execução – Do, Verificação – Check e Ação Corretiva – Action) que poderá ajudar a resolver o problema.

Comece fazendo uma pequena planilha dividindo sua movimentação financeira em dois grandes grupos: rendimentos e despesas. Rendimentos são a soma de todos os seus ganhos financeiros durante o mês. Anote esse resultado nessa planilha. Despesas são tudo aquilo que você gasta durante o mês relacionadas à alimentação, saúde, moradia, vestuário, educação, transporte, impostos, lazer, contas a pagar e outros que você julgar necessários, de acordo com a sua realidade. Anote criteriosamente todos os desembolsos que você fizer com estas rubricas durante o mês, por menor que sejam, cada um, na sua respectiva coluna. Acompanhe diariamente a relação entre o que você gasta e o restante que ainda possui para gastar, relativo aos seus rendimentos. Esteja muito atento à esta relação. Quanto mais próximo os gastos com relação aos rendimentos, maior deve ser a sua atenção!

Ao final do mês, some todas as despesas por grupos e também no total e subtraia esse total dos rendimentos. A regra máxima é que a soma total das despesas tem, necessariamente, que ser igual ou, preferencialmente, menor que os rendimentos, nunca superior, de acordo com a fórmula: R-D=0 ou > 0. Se você fizer com que isto funcione de fato, já será um enorme passo! A diferença positiva de valor entre os rendimentos e a soma total das despesas, se houver, deve ser guardada como forma de poupança.

No início do mês seguinte, utilize como parâmetro os valores dos rendimentos e das despesas do mês anterior para fazer a sua previsão orçamentária mensal, ou seja, o quanto você prevê que irá ganhar e o quanto você prevê que irá gastar durante o mês que se inicia com cada uma das rubricas e no total. Reveja criteriosamente os valores a serem gastos caso o que você for ganhar for inferior ao que você for gastar e faça os cortes necessários, por mais que doa. Nunca inicie um ciclo orçamentário se o que você for gastar for superior ao que você irá ganhar. Repita mensalmente esta operação e você terá sempre suas finanças sob controle.

Tem muita gente por aí construindo “torres” sem planejar os gastos. O resultado: endividamento, estresse, noites sem dormir, brigas, desintegração familiar e, às vezes, morte!

Planeje, execute, verifique e tome as ações corretivas rotineiramente para manter suas finanças em dia – PDCA!

Se você quiser se aprofundar nesse assunto, faça contato conosco. A Cesarius disponibiliza palestras e cursos relacionados a esse assunto.

Quem tem ouvidos que ouça!

(Artigo divulgado na página da Agência Primaz de Comunicação em 07/04/21)

ORÇAMENTO DOMÉSTICO

Cesarius Dica Cultural

CARTAS DA ALINE

Em breve, Live com o lançamento do livro “Cartas da Aline”. Um tributo à sua memória e uma grande oportunidade de reflexão sobre a espiritualidade e o sentido da vida. Aguardem!

DESENVOLVIMENTO DE LIDERANÇAS

Cesarius Dica Cultural

AUTOCONHECIMENTO: UMA ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL E NECESSÁRIA EM TEMPOS DE CRISE

“Como seres humanos a nossa grandeza não está em refazermos o mundo, mas em sermos capazes de refazer a nós mesmos”. (Mahatma Gandhi)

Responda com sinceridade: Você se conhece bastante? Consegue enumerar com facilidade quais são suas qualidades e seus pontos fracos?

Façamos, então, se me permitem os meus caros leitores, um pequeno teste. Pegue uma caneta e um papel e, em 05 minutos, faça uma pequena lista de 10 qualidades e 10 pontos fracos que você possui.

E aí, conseguiu? Tendo como base minha longa experiência trabalhando em sala de aula e ministrando cursos comportamentais, posso afirmar que provavelmente você não conseguirá, assim como quase todos que já passaram por essa experiência. Por que será? Falar dos outros é fácil, o difícil e falar de si mesmo! Afinal, quem é você?

Conhecer-se a si mesmo é um grande desafio e pode ser uma excelente estratégia para enfrentar os desafios que nos aparecem no dia a dia, principalmente nesses momentos traumáticos que estamos vivendo! O autoconhecimento é uma das maiores fontes de sabedoria.  Quanto mais o ser humano se conhece, mais possibilidades ele tem de conhecer seus pontos fortes e seus pontos fracos e investir no seu crescimento pessoal e profissional. Existem várias formas de se investir nessa área, uma delas é através de uma filosofia milenar conhecida como Eneagrama.

O Eneagrama é um estudo da personalidade humana, criado há cerca de 4.500 anos que classifica o comportamento humano segundo nove grandes tipos. Sua autoria é desconhecida, mas seu conhecimento aparece na história das tradições iniciáticas ocidentais da humanidade, na raiz dos conhecimentos gnósticos, judaicos, cristãos e islâmicos. Tem sua origem etimológica nos termos gregos “enea”, que significa “nove” e “grama”, que significa desenho, figura. Foi redescoberto no final do século XIX e início do século XX pelo filósofo russo Georges Ivanovich Gurdjieff através do contato com mestres de uma fraternidade secreta chamada Sarmung, num território não bem definido, hoje, entre o Afeganistão e a Turquia e a partir daí ganhou o mundo.

O símbolo do Eneagrama, como não poderia deixar de ser, é um polígono de nove lados, o eneágono. Cada ponta desse eneágono representa um tipo de personalidade. Os estudos milenares afirmam que todos nós seres humanos nos enquadramos em um desses nove tipos, com características marcantes que fazem a diferença de cada um deles. Assim nós temos no Tipo 1, o Perfeccionista, no Tipo 2 o Doador, no Tipo 3 o Vencedor e nos Tipos 4, 5, 6, 7, 8 e 9 os Tipos Romântico, Observador, Controlador, Epicurista, Autoritário e Mediador, respectivamente. Cada um desses Tipos possuem uma série de pontos fortes e de pontos fracos que podem ser identificados através de um Inventário auto avaliativo preenchido com a orientação de um profissional especialista em Enegrama.       

Além da possibilidade de investir no autoconhecimento, o Eneagrama também permite conhecer e entender o comportamento das outras pessoas que fazem parte do nosso convívio, facilitando o relacionamento interpessoal, quer seja no trabalho, quer seja no convívio familiar ou social.

O grande Mahatma Gandhi já dizia em suas pregações em sua luta pela paz: “Como seres humanos a nossa grandeza não está em refazermos o mundo, mas em sermos capazes de refazer a nós mesmos”. É impossível sermos capazes de nos refazermos sem que nos conheçamos a nós mesmos.

Vai aí uma dica para os leitores: a Cesarius Gestão de Pessoas é especialista em Eneagrama, portanto, se você quiser investir no seu autodesenvolvimento, é só fazer contato!

http://www.caesarius.com.br cesarius@cesarius.com.br (31)99345-0515

(Artigo publicado no site da Agência Primaz de Mariana – MG https://www.agenciaprimaz.com.br/2021/03/24/autoconhecimento-uma-estrategia-fundamental-e-necessaria-em-tempos-de-crise/ em 25/03/21)