Posts Tagged ‘ GESTÃO COM PESSOAS ’

MESA REDONDA: O RH EM 2016, CRISE OU OPORTUNIDADE?

O ser humano, sem dúvida, é o maior patrimônio de uma organização. Investir no capital humano sempre foi o melhor investimento. Organizações maduras trazem este lema de forma permanente nos seus princípios e valores e o colocam em prática, principalmente nos momentos de crise.

O RH em 2016, crise ou oportunidade: este é o tema da “Mesa Redonda” que será realizada no Núcleo de Pós-Graduação do SENAC da Guajajaras em BH no dia 17/12/15, quinta-feira.Uma excelente oportunidade para refletir sobre as perspectivas para 2016 e os caminhos que podem ser traçadas com foco na gestão com pessoas.

Evento gratuito! Inscrições antecipadas! Participe! Contatos: 0800 724 4440

MESA REDONDA SENAC

GESTÃO COM PESSOAS – TEMAS PARA REFLEXÃO

Em 2012 resolvi investir nos meus dons literários e divulgar através de um livro – Gestão com Pessoas – Temas para reflexões – algumas experiências autobiográficas relacionadas à minha vivência durante mais de trinta anos nos meios organizacionais. Recebi vários feedbacks positivos, no entanto, recentemente o testemunho divulgado no Facebook por FÁTIMAuma amiga de longas datas deixou-me emocionado. Gostaria de compartilhar e copio abaixo.

“Gestão Com Pessoas: Uma Abordagem Socrática sobre o ambiente organizacional. Gestão com Pessoas, por Júlio Cézar Vasconcelos. Agradecidos pelo presente construtivo e para ser aplicado na vida! Temas para reflexão.
Diante dessa bela atitude, a de nos oferecer a sua valiosa experiência acumulada, tanto acadêmica quanto profissional, e termos o privilégio de poder refletir sobre o tema abordado, sinto necessidade de fazer o meu comentário sobre a sua obra: – O que chamou a minha atenção foi as suas colocações partidas da própria experiência. Uma leitura esclarecedora. E no meu ponto de vista é a forma de cada vez mais, as organizações perceberem que de nada valerão suas estratégias de negócios para ampliar mercados, conquistar clientes e obter resultados favoráveis se não considerarem que tudo depende da boa execução dos processos que compõem sua cadeia produtiva. E que a realização desses processos esta diretamente ligada ao desempenho das pessoas da organização a quem competem atividades essenciais nos níveis estratégico e operacional.
Sob qualquer forma de gerir, fazer a leitura de seu livro só vai acrescentar a qualidade como premissa, e dar luz a generalidades de ações que induzem a s iniciativas humanitárias bem como as iniciativas no trabalho. A gestão com pessoas em contrapartida com a gestão de pessoas, parece-me uma inovação que fará concepções “imperiosas”, no sentido de se obter melhores resultados e maior satisfação pessoal. Uma inovação que reforma o sentido do bem por amor ao bem. As pessoas agindo integralmente e com e com entendimento comum. Muito bom mesmo!
É a renovação do modelo de gestão, fazer entender que pessoas que trabalham nas organizações são, na verdade, muito mais que simples recursos; delas dependem os resultados das empresas e mais, com o objetivo principal tornar a relação capital e trabalho, no âmbito das empresas, o mais produtivo e menos conflituoso possível. Valeu!
Deixe-me fazer uma alusão à sua dedicatória; – Linda! Nada existe de tão grande e admirável do que ser genuíno; quem te conhece, enxerga-te em cada palavra, reconhece o “santo” a que se refere… Lindo como tudo que vem do coração.
Fátima Maia Dias

VALEU FÁTIMA! MUITO OBRIGADO!
LIVRO CAPA

Desafios atuais em Gestão de Pessoas

Amanhã, 18/10/14, estarei apresentando uma Palestra no Simpósio Acadêmico da Faculdade Pedro II, em Belo Horizonte: “Desafios atuais em Gestão de Pessoas” e fazendo uma divulgação do meu livro “Gestão com Pessoas – Temas para Reflexão”. Venho apresentando várias Palestras em eventos institucionais para grandes públicos, com feedbacks muito positivos. Aos interessados, é só me retornar: caesarius@caesarius.com.brPALESTRA FAP2COREN XIIIV

CURSO DE FORMAÇÃO DE ANALISTAS DE RECURSOS HUMANOS NA CESARIUS

FARH - MAI14

“GESTÃO COM PESSOAS – TEMAS PARA REFLEXÃO” É DESTAQUE NA REVISTA EDUCAÇÃO E OPORTUNIDADE DO SENAC!

REVISTA SENAC 001

GESTÃO COM PESSOAS: QUEBRANDO PARADIGMAS

Paradigmas são crenças cristalizadas que influenciam o comportamento das pessoas e das organizações. Existem alguns paradigmas ultrapassados em termos de gestão com pessoas que comprometem fortemente o alcance dos resultados estratégicos das empresas e precisam urgentemente ser mudados. Vejamos alguns dos mais importantes na prática.

Paradigma 1: O objetivo de uma organização é a obtenção de lucro a todo custo, não importando para isto os meios utilizados.

Quebra do paradigma: o verdadeiro objetivo de uma organização, qualquer que seja, na sua essência, é a contribuição para o bem estar social e para a valorização do ser humano. O lucro, apesar de absolutamente necessário, é consequência desta contribuição. Organizações verdadeiramente comprometidas com o social obtêm elevados níveis de lucratividade.

Paradigma 2: O ser humano é um recurso, e como tal pode e deve ser substituído ou descartado a qualquer momento ao primeiro sinal de crise ou problema enfrentado.

Quebra do paradigma: Não existe mais gestão de recursos humanos e sim gestão com pessoas. Pessoas são o maior patrimônio de uma organização e, como tal, não podem ser maquiavelicamente descartadas. Pelo contrário, devem ser valorizadas em termos de investimento, participação e reconhecimento. Demissões representam perda do capital intelectual da organização e devem a todo custo serem evitadas.

Paradigma 3: O ser humano é preguiçoso por natureza, tem aversão ao trabalho, e como tal deve ser fiscalizado e controlado a todo instante, caso contrário não gerará produtividade.

Quebra do paradigma: O ser humano, independentemente do nível hierárquico, quando devidamente reconhecido e valorizado, se apaixona pelo seu trabalho e gerará elevados índices de produtividade.

Paradigma 4:  A empresa é composta de cabeças pensantes, ocupadas pelos profissionais lotados nos cargos de chefia e de mão de obra, ocupada pelos empregados operacionais. Aos ocupantes dos cargos de chefia compete pensar, aos ocupantes dos cargos operacionais, compete produzir.

Quebra do paradigma: Não existe mão de obra, existe cabeça de obra. A empresa é composta de cabeças pensantes, independentemente do cargo que o empregado ocupa. Todos podem e devem utilizar o conhecimento como forma de alavancar a produtividade.

Paradigma 5: Gestão dos recursos humanos é responsabilidade dos profissionais da área de recursos humanos, aos ocupantes de cargo de chefia compete somente gerir tecnicamente seus processos.

Quebra do paradigma: Não existe mais gestão de recursos humanos, existe gestão com pessoas e esta gestão é de responsabilidade de todos os ocupantes de cargos de liderança da empresa: supervisores, coordenadores, gerentes e diretores. Os profissionais da antiga área de recursos humanos devem funcionar como assessores dos ocupantes dos cargos de liderança.

Paradigma 6: Treinamento é custo e como tal dever ser reduzido ao mínimo necessário.

Quebra do paradigma: Treinamento não é custo, treinamento é investimento. Quanto mais se investe na capacitação e desenvolvimento dos empregados, maior a produtividade e a rentabilidade da empresa, e este retorno financeiro compensa em elevado nível todos os gastos.

Paradigma 7:  O bom empregado é aquele que não contesta as ordens dos seus superiores imediatos. Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Quebra do paradigma: O bom empregado é aquele que contesta, de forma adequada e no momento certo, as ordens dos seus superiores imediatos. Ouvir os liderados sempre que possível, antes de tomar uma decisão, leva a obtenção de comprometimento e bons resultados.

Gestão com pessoas veio para ficar. As empresas realmente maduras e que já quebraram de forma concreta estes paradigmas estão obtendo excelentes resultados. Vale a pena refletir sobre o assunto e colocar em prática.

 

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO COM PESSOAS NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS: FEIRA DO EMPREEENDEDOR – SEBRAE. VALE A PENA CONFERIR! PARTICIPE!

DEMISSÃO DO ZICO: A FALTA DE ÉTICA DO OLIMPIACOS

Muito interessante o “case” da demissão do Zico do Olimpiacos da Grécia. Apesar de ser considerado um ídolo do futebol, não só no Brasil mas também no mundo, ele foi vitimado pelo “facão” do patronato, tão comum na vida do proletariado. O que chama mais a atenção é a causa e a maneira como foi demitido. A causa: incompetência; o time vinha perdendo várias partidas e foi eliminado na primeira fase do campeonato grego. A maneira:  Zico soube da sua demissão lendo o site do Olimpiacos, depois recebeu na sua casa, em Atenas, a visita de um Oficial de Justiça com a notificação oficial do clube.  Tomar conhecimento de demissão através de site e depois ser comunicado por um Oficial de Justiça???  Parece caso de polícia! Imaginem o impacto negativo no moral da equipe? Creio que o Olimpiacos precise de uma Consultoria em Gestão com Pessoas para aprender estratégias éticas para demissão de um colaborador. E que colaborador! …

NASCE A CAESARIUS

De um lado, um profissional com mais de 30 anos de experiência em organizações de grande porte, pós-graduado em Gestão de Pessoas e MBA em Gestão de Produção e Qualidade pela FGV. Do outro lado, uma competente profissional  da área de gestão com pessoas, fruto da “Geração Y”,  audaciosa e inovadora, graduada em Psicologia, pós-graduada em Gestão de Negócios e mestranda em Administração. Da parceria visceral entre os dois, nasce a Caesarius Consultoria Organizacional, um empreendimento de gente que gosta de trabalhar com gente, com foco na área de gestão com pessoas.

A Missão:    “Investir de maneira permanente na valorização e desenvolvimento do ser humano nas organizações, contribuindo de maneira eficaz para sua sustentabilidade”.

A Visão: “Ser referência em termos de gestão com pessoas no mercado de trabalho do quadrilátero ferrífero no prazo de 05 anos, de modo a gerar retorno financeiro sustentável para seus associados”. Os valores: “ética, competência, criatividadee eficácia”.

O nome Caesarius é originário do latim, significa “de César” . Resgata os conceitos de estratégia, vitória e poder  dos imperadores romanos e aplica-os na valorização e desenvolvimento do ser humano nas organizações. 

A logomarca, a coroa de louros, que tem sua origem na Grécia antiga e com a qual os campeões olímpicos eram homenageados, simboliza competência, vitória e sucesso, pilares com que a Consultoria se propõe a atuar. A cor amarela simboliza riqueza, criatividade, juventude e alegria. A cor azul simboliza lealdade, confiança e tranqüilidade,  valores com que a Consultoria pretende se pautar.

 Está lançado o desafio! Cabeça nas nuvens, pé no chão! Que os louros da vitória nos tragam os resultados!

FEED-BACK – O CASO DO FEIJÃO QUEIMADO

FEED-BACK IIO feed-back é uma das mais poderosas ferramentas motivacionais do sistema de gestão com pessoas. Através dele o empregado, numa conversa franca com seu superior imediato e num clima de transparência e respeito, tem oportunidade de ficar sabendo de maneira sistemática como anda seu desempenho na empresa. O problema é que esta nunca foi uma prática muito comum nas organizações. A grande maioria dos empregados trabalha anos e anos a fio na maioria das vezes em um mesmo emprego e com uma mesma supervisão sem nunca ter ouvido um único comentário sobre o desenvolvimento do seu trabalho na empresa. Se vai indo bem ou mal, nunca se sabe e assim as os dias vão passando. Existem situações em que a coisa realmente não vai bem, mas a omissão e o medo se unem para reforçar a incompetência gerencial.

DOMÉSTICA IIVem à minha lembrança um fato real ocorrido há algum tempo atrás no ambiente familiar de um colega de trabalho que talvez venha a elucidar o fato. Três filhos pequenos, ele e a esposa, apertados de trabalho, perdem a empregada doméstica que cuidava da casa. Tiveram que se virar! Durante um bom tempo foi uma verdadeira luta, um corre-corre danado: levar e buscar crianças na escola, almoço para fazer, vasilhas e roupas sujas para lavar, faxina na casa e um monte de problemas mais. Depois de longo período e muita procura, conseguiram arranjar uma substituta que parecia adequada para tirá-los de tamanha dificuldade. Reuniram os filhos e baixaram um decreto: estava proibido reclamar do trabalho da empregada, depois de tanta luta não queriam correr o risco de perder aquele achado raro. E a vida aparentemente voltou à normalidade.  Logo surgiu um problema, a pobre criatura tinha vindo da roça e não estava acostumada com as modernidades da cidade. Fogão a gás e panela de pressão para ela era uma verdadeira novidade! O que ela conhecia era o famoso fogão a lenha e o caldeirão de alça comprida e não aquela maldita chama azul que se acendia com o triscar de uma cigarra e aquela panela esquisita que mais parecia uma maria-fumaça! Resultado: o feijão sempre saía queimado! No primeiro dia ela passou um aperto danado; quando colocou a tigela de feijão na mesa, o cheiro forte e característico de queimado exalou pelo ar. Pensou que ia perder o emprego que com tanto sacrifício tinha conquistado, mas simplesmente não aconteceu nada. Pai, mãe e filhos, temerosos do risco de perder a empregada se reclamassem, olharam uns para os outros, deram uma piscada de olhos e ficaram todos calados. Melhor comer feijão queimado do que voltar àquele inferno do passado. Os dias foram passando e ela não conseguia acertar a receita, o feijão sempre saia queimado. Como os patrões sempre estavam de cara boa e nunca reclamavam, foi ficando relaxada. No entanto a situação realmente a deixava intrigada, não conseguia entender por que eles não reclamavam. Um belo dia resolveu trocar umas idéias com a colega de afazeres domésticos da vizinhança do lado que tinha mais experiência e talvez pudesse entender o que se passava. Conversa vai, conversa vem, comentou:

-Sabe Mundica, desde que eu comecei a trabalhar nesta casa não acerto a mão para cozinhar feijão! Não consigo mexer naquele fogão de lata e naquela maldita panela que mais parece uma maria-fumaça e o raio do feijão sai sempre queimado!  O mais engraçado é que eu nunca vi patrões com um gosto tão esquisito! Parece que eles adoram comer feijão queimado! Ficam de cara boa e nunca reclamaram!

E a conversa continuou por aí sem que a colega também conseguisse ajudá-la a esclarecer por que os patrões não se zangavam. Interessante é que elas não perceberam que os patrões do feijão queimado despropositadamente tinham ouvido a conversa da varanda do lado. Era tudo que eles precisavam ouvir!

No outro dia recebeu o feed-back dos patrões. Com muito jeito, convocaram-na para uma conversa e disseram que na verdade não gostavam de feijão queimado e se propuseram a ensiná-la como trabalhar com aquela maria-fumaça que tanto estrago tinha causado!…

Depois de algum tempo com algumas lições práticas, a doméstica tornou-se uma exímia operadora de panela de pressão e fogão a gás!

Muitas vezes não percebemos, mas acontecimentos do nosso dia a dia podem nos trazer valiosas lições para a vida profissional. Feed-back, feijão queimado…

E você no seu trabalho? Será que anda fazendo ou comendo feijão queimado!?…