Posts Tagged ‘ trabalho ’

A TRISTE E INCRÍVEL HISTÓRIA DO SAPO BARBUDO QUE VIROU PRÍNCIPE E SUA TRÁGICA DERROCADA

SAPOHá muito tempo atrás, em uma terra distante, tórrida e torrada pelo calor do sol escaldante, vivia à beira de uma lagoa que raramente tinha água, um jovem sapo, sonhador e cheio de ideias.
Ficava observando seus companheiros esquálidos, sedentos, famintos e esfarrapados e sonhava com uma vida melhor, mais digna e respeitosa para todos da sua comunidade. Já na sua tenra idade, conseguia enxergar que existiam sapos e príncipes e ficava pensando o que ele deveria fazer para um dia ser príncipe como alguns poucos que existiam por lá.
Um dia sua mãe resolveu partir daquelas terras em busca de uma vida melhor levando-o e a seus irmãos para “navegar em outros mares”. Com lágrimas nos olhos, partiram deixando os companheiros e a terra amada para trás. A viagem foi dura, cansativa e distante, mas enfim conseguiram chegar.
Chegando à terra prometida, o sonho de uma vida melhor não chegou tão facilmente como esperavam. Lá também, da mesma forma, existiam muitos sapos esquálidos, sedentos, famintos e esfarrapados, só que com mais príncipes, sentados em seus tronos dourados.
O tempo foi passando e ele crescendo e se desenvolvendo. Para conseguir o seu sustento e o sustento dos seus familiares, muito cedo teve que começar a batalhar. A vida ali não era igual à vida que ele tinha no lugar que anteriormente morava, onde a lagoa e a terra, apesar das dificuldades, supriam suas necessidades. Neste novo mundo, ele tinha que andar muito e se juntar a vários outros companheiros em uma fábrica para trabalhar e conseguir se sustentar. Os dias foram passando e ele começou a perceber que a vida ali era tão dura quanto a vida que tinha por lá. Percebeu também que, depois do trabalho, alguns companheiros se juntavam em um lugar fora da fábrica para discutir seus problemas e tentar solucioná-los. Curioso como era, ele um dia resolveu juntar-se a eles para ver como aquilo funcionava, quem sabe achava um caminho para sua vida melhorar.
No primeiro dia, manteve-se em um canto, só observando, meio desconfiado. No entanto, gostou muito do que viu e ouviu e decidiu que iria voltar. Nestas alturas ele já era grande e uma barba espessa tomava conta da sua cara. Pouco a pouco foi se entrosando com os novos companheiros e foi aprendendo a se manifestar. Naquele lugar tinha o canal que estava precisando para suas insatisfações desabafar. Com o tempo, aprendeu a colocar suas ideias em ordem e com uma eloquência incrível a expressá-las, reivindicando de forma entusiasmada uma vida mais digna para ele e para seus e seus companheiros de batalha. O tempo foi passando e seu discurso tornou-se contagiante, carismático; aprendeu a subir nos palanques e a falar em altos brados para a multidão que, em êxtase, o exaltava!
Ele foi crescendo, crescendo e cada dia mais sapos apareciam para vê-lo falar e juntos seus direitos reivindicar! Ele então criou um movimento estrondoso que fez muitos príncipes tremerem nas bases. Assustados com a repercussão do movimento criado, mandaram prendê-lo, mas algum tempo depois foi solto e, para desespero dos príncipes, foi aí que cresceu ainda mais! E o sapo barbudo foi crescendo tanto que de sapo foi se transformando em príncipe e com os príncipes começou a legislar, levando vários de seus companheiros para ajudá-lo. No princípio somente sentavam-se com os príncipes para negociar, mas depois foram se deixando contaminar. Alguns companheiros, fiéis aos princípios originais e assustados com o desenrolar dos fatos, discordaram e, no meio do conflito, começaram ase se debandar.
E o sapo barbudo foi se tornando cada vez maior, mais brilhante até chegar ao trono máximo do principado. Sua barba já não era tão grande e ele já se confundia perfeitamente com os demais príncipes do reinado. Ficou famoso e sua fama extrapolou os limites do reino, tornando-se um líder carismático. Vários companheiros que continuaram fieis a ele, foram também alçados ao patamar do trono, ao seu lado.
Infelizmente, nesta altura dos acontecimentos, um triste e chocante fenômeno já estava tomando conta do cenário. O dinheiro, a vaidade e a paixão pelo poder começaram a deixar o sapo-príncipe a seus companheiros obnubilados, esquecendo os princípios nobres do passado. Propinas e conluios tornaram-se comuns e passaram a fazer parte da estratégia deles para governar. No meio desta trama, alguns companheiros foram flagrados cometendo crimes inafiançáveis. Vários foram presos e perderem os seus cargos. O sapo-príncipe, de forma inacreditável, conseguiu escapar e seu principado continuar, mas sua imagem foi ficando cada vez mais contaminada.
Passaram-se os anos e o sapo-príncipe teve seus dias de principado expirados. Era o momento, aproveitando a oportunidade, de partir para uma aposentadoria e curtir os louros do passado, mas a vaidade e a fome de poder, como um visgo, não o deixaram. Arrumou, como que do nada, uma companheira de partido e forçou sua entrada para ocupar o lugar que tinha deixado. Criou una criatura e colocou-a no trono mas, no fundo, o que ele queria mesmo era continuar a governar. Os desencontros foram aumentando e a coisa foi tornando-se cada vez mais complicada e daí para frente, sua carreira foi caindo em derrocada. A companheira sentada no trono transformou-se em um verdadeiro desastre! Faltava-lhe tudo: competência, carisma e experiência para ocupar o trono máximo do principado. O sapo-príncipe tentou ajudá-la, mas era impossível, ele não tinha mais nenhuma credibilidade e nem força para transformá-la. Os podres do passado foram despontando e a fedentina começou a se espalhar por todos os lados. Um turbilhão de dinheiro desviado e surrupiado, formando como um furacão foi destruindo todo o reinado. Criador e criatura caíram em um abismo profundo provocando descontentamento e perdas de valores incalculáveis. Um certo dia, um juiz intimorato enviou alguns homens de negro e distintivo no peito para buscá-lo em sua casa. A criatura, do alto de seu trono, revoltou-se e quis ajudá-lo, tentando levá-lo para o seu lado, mas já não tinha força para tal fato. A incompetência e a corrupção tinham contaminado todo o seu principado. O poder foi caindo-lhe entre os dedos de forma irrecuperável. Num último momento, os príncipes poderosos se reuniram e arrancam-na a fórceps do trono, colocando fim ao seu reinado. Em meio a gritos de golpe, criador e criatura desceram a rampa e ainda não se sabe que rumo irão tomar.
O final da história ainda está para se contar. Só se sabe que a crença anfíbia em um mito salvador da pátria evaporou-se e perdeu-se pelo espaço. Um monte de sapos tristes ficou pelos caminhos esperando desesperançados que um dia um sapo-príncipe apareça de novo para salvá-los…

DESENVOLVIMENTO DE LIDERANÇAS

Estudos recentes desenvolvidos pelo Instituto Gallup demonstram que 2/3 dos profissionais que deixam seus empregos estão se demitindo dos seus chefes e não das empresas onde trabalham. Na mesma linha, estudos desenvolvidos pela Universidade de Harvard concluíram que de cada três profissionais demitidos nas empresas, dois são demitidos por não terem conseguido sucesso no relacionamento pessoal.
O desenvolvimento de lideranças é de fundamental importância para o desenvolvimento de carreira e para o sucesso organizacional. Que tipo de líder é você? Qual o seu estilo predominante de liderança? Quais as estratégias de liderança você utiliza com a sua equipe para desenvolvimento do seu trabalho? Você utiliza do feedback rotineiramente com seus liderados? Como criar um ambiente motivacional no trabalho? Afinal, você é um chefe ou um líder?
Estas e outras questões pertinentes serão respondidas de forma prática e bem embasadas conceitualmente durante o Curso de Desenvolvimento de Lideranças a ser promovido pela Cesarius no período de 19 a 23/10/15.
Invista na sua carreira! Faça já a sua inscrição!
LIDERANÇA OUT15

O DIA DO TRABALHADOR

Dia-do-trabalhadorNo dia 1º de maio comemora-se o Dia do Trabalhador e não do trabalho, como muitos pensam. A data foi escolhida porque no dia 1º de maio de 1886 milhares de operários saíram às ruas de Chicago, nos Estados Unidos, para protestar contra as condições desumanas de trabalho agravadas com a revolução industrial. Nesta época, surgiu uma greve generalizada que reivindicava, entre outras melhorias, a redução na jornada de trabalho de quatorze para oito horas diárias e melhores condições de trabalho e salários. A paralisação durou dias e culminou na morte de vários operários.
CLTAlgumas questões importantes e provocativas merecem reflexão nesta marcante data. Talvez a mais urgente delas seja a questão relacionada à legislação trabalhista. A Consolidação das Leis do Trabalho CLT, que rege as relações de trabalho no Brasil, foi aprovada por Decreto em 1° de maio de 1943 por Getúlio Vargas e foi fortemente inspirada pela Carta del Lavoro do governo fascista de Benito Mussolini. Possui 944 artigos que legislam de forma rigorosamente detalhada sobre os mais variados temas, versando sobre identificação profissional, jornada do trabalho, salário mínimo, férias anuais, segurança e medicina do trabalho, proteção ao trabalho da mulher e do menor, previdência social e regulamentações de sindicatos das classes trabalhadoras e greves, entre outros. Creio que temos aí um sério problema a resolver.É impossível admitir que os princípios que regiam a relação capital-trabalho a 70 anos atrás continuem integralmente sendo válidos para os dias de hoje. O mundo mudou e muito; novas e profundas transformações tecnológicas surgiram, impactando fortemente as relações de trabalho. Inúmeras profissões desapareceram e outras surgiram, exigindo uma nova forma de regulamentação. O nível de instrução e conhecimento dos trabalhadores aumentou, adquirindo condições e abrindo espaço para reivindicar seus próprios direitos no ambiente de trabalho. A mídia, as ONG’s, os órgãos reguladores e a própria sociedade exercem uma pressão sobre o capital exigindo um tratamento mais humano e respeitável. Motivados pelo aumento da lucratividade ou mesmo por questões humanitárias, os empresários e grandes executivos repensam estrategicamente suas formas de administrar, optando por uma gestão mais participativa.
O fato é que, diante da obsolescência de certos regulamentos, muitas das vezes os empresários não tem como se furtar e acabam prejudicando o próprio trabalhador em nome da lei. A nossa legislação trabalhista é uma das mais rígidas do mundo! Alguns personagens do mundo do trabalho, preocupados com um retrocesso nos direitos conquistados pelos trabalhadores, em uma atitude conservadorista, defendem veementemente a manutenção da legislação como está. Nossos parlamentares, pelo que se apresenta, receosos de verem sua popularidade manchada discutindo tão polêmico assunto, preferem não encarar de frente a questão e vão protelando uma solução para o problema. E assim caminha a humanidade.
As leis foram feitas para tornar a convivência em sociedade mais harmoniosa para os homens, coerentemente com a realidade de cada época em que vivem. Quando perdem esta característica e começam até mesmo a dificultar, é sinal de que precisam ser mudadas. Reforma trabalhista não pode ser confundida com perda de direitos do trabalhador, mas sim entendida como adequação às realidades do mundo contemporâneo. Que a vetusta CLT não seja ignorada de forma radical e disruptiva, mas analisada de forma consciente e ajustada à modernidade, contribuindo de forma efetiva para a paz no mundo do trabalho. Este, de fato, seria um bom presente para o trabalhador!
No mais, parabéns a todos nossos trabalhadores que, de sol a sol, heroicamente dão sua contribuição para o progresso do nosso País.
PARABÉNS DIA DO TRABALHADOR

RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E SATISFAÇÃO NO TRABALHO

Como anda o seu nível de satisfação no trabalho? Qual foi a última vez que você “explodiu” com seu colega de trabalho? Você sabe o que é Síndrome de Burn-Out? Como anda a sua inteligência emocional?
Pesquisas apontam que 78% dos profissionais brasileiros sentem-se angustiados com relação ao trabalho. De cada três profissionais demitidos nas empresas, dois são demitidos por não terem conseguido sucesso no relacionamento pessoal.
Estas foram algumas das questões abordadas na Palestra que apresentei na SIPAT da Cidade dos Meninos no dia 26/11/14. Foi excelente a receptividade da equipe organizadora e a participação dos presentes! Parabéns pelo trabalho!
???????????????????????????????

VALORIZAÇÃO DO TRABALHO HUMANO

VALORIZAÇÃO DO TRABALHO HUMANO

SER PROFESSOR

DIA DOS PROFESSORESSer Professor com P maiúsculo é como plantar uma semente e colher os frutos saborosos e nutritivos; é como educar um filho e vê-lo tornar-se um sábio; é transmitir crenças e valores sustentáveis e vê-los transformar a vida das pessoas; é satisfazer-se com a doação pura e simples de ver as pessoas crescerem e se libertarem em busca de sua auto-realização.
Trabalhei mais de 30 anos dentro de empresas de grande porte nas mais variadas áreas. Há cerca 05 anos resolvi mudar de rumo; uma grande amiga convidou-me para lecionar em um curso de pós-graduação e acabei tornando-me Professor. Confesso que eu nunca senti-me tão realizado profissionalmente como sinto-me atualmente; encontrei em sala de aula o que não conseguia encontrar com tal intensidade dentro das empresas. Infelizmente, tenho que admitir que, como Professor, em alguns momentos dessa trajetória, na ânsia de acertar, falhei, mas a grandeza das conquistas superaram as derrotas. Trago comigo alguns feedbacks de grandes alunos que me engrandeceram e engrandecem e gosto de compartilhar com alguns amigos mais chegados:
“Professor, gostaria mais uma vez de felicita-lo pela excelente palestra de ontem à noite e desejar sinceramente que continue com este Dom Divino de eloquência e sapiência. Num mundo onde o lucro e a degradação dos valores morais estão abrangendo a consciência coletiva, é confortador encontras pessoas que ainda prezam valores como a família e a ética. Fiquei lisonjeada de tê-lo conhecido”.
Professor, nós costumamos sentir saudades dos professores da educação infantil, aquelas pessoas, normalmente mulheres, que naquele período de nossa vida substituem nossas mães enquanto estamos na escola. Talvez por isso as chamávamos de ‘tias’ … Agora, na pós-graduação, ter o mesmo sentimento foi uma novidade para nós. Entendo que o senhor conseguiu aquilo que todo professor deveria ter como pré-requisito: saber que uma aula, por melhor que seja o conteúdo dela, só atingirá seus objetivos (aprendizagem do aluno) se o professor entender que ele não transfere conhecimento, que necessariamente a aula deverá fomentar a curiosidade/interesse dos alunos”.
“Professor, fico muito feliz em saber que ainda existem professores como o senhor. Ao mesmo tempo, a tristeza de terminar uma aula tão agradável. Saiba que você é muito querido por todos nós”.
“Ser mais um na multidão pode não representar nada, porém se a multidão grita palavras de ordem e eu componho o coro, eu deixo de ser um para ser um conjunto.Este conjunto grita:
-Obrigado Professor Julio!
Sinta-se orgulhoso pelo que faz, da forma como faz. Sinta-se exemplo em sua categoria. Se este conjunto é pequeno para proclamar-te grande, certamente está ao lado de muitos outros conjuntos que tiveram o prazer e honra de conhecê-lo e que juntos a nós, gritamos todos o mesmo brado.Tomara, nos encontremos novamente”.

Creio que resultados como esses não são somente privilégios específicos meus, mas de muitos outros Professores que dedicam sua vida, apesar das inúmeras dificuldades, em prol do ensino e do desenvolvimento de seus alunos. Nessa data dedicada ao magistério, transfiro essas homenagens citadas acima a todos eles. Sabedoria, paciência, persistência, humildade e fé: que todos façamos dessas virtudes os pilares para o desenvolvimento do nosso trabalho.
Nesse momento conturbado de mudanças que estamos vivendo, nossos candidatos a Presidência da República falam em investimento na educação. Minha esperança é que essas promessas algum dia se tornem verdadeiramente uma realidade e os nossos Professores sejam realmente de forma concreta e compensatória reconhecidos e valorizados. Com certeza, a solução passa pela educação!

EMPRESAS COM VALORES

EMPRESAS COM VALORESNa sua essência, qual o verdadeiro objetivo de uma organização, qualquer que seja esta organização? Como especialista em Gestão de Pessoas e Professor de Cursos de Pós-Graduação, a experiência, infelizmente, tem me demonstrado que nove entre dez dos entrevistados sobre a questão, dos mais variados cargos e níveis, incluídos empresários que se dizem socialmente responsáveis, não hesitam em responder prontamente: o lucro!
Esta resposta segue embasada na teoria do Capitalismo Liberal, influenciado pelo filósofo Thomas Hobbes: O objetivo principal de uma empresa, o que mais lhe interessa é o lucro, o lucro máximo. Os valores éticos tradicionais como honestidade, justiça e solidariedade são aceitos, desde que não ameacem este lucro ou contribuam de alguma forma para ele.
Contrariamente a este princípio, o conceito de Capitalismo Social, influenciado pela doutrina social da igreja e pelas encíclicas papais, preconiza que os resultados financeiros, embora absolutamente necessários para a sobrevivência do negócio, são apenas uma consequência do objetivo principal e não sua razão de existência. Sendo assim as indústrias, os comércios, as instituições ligadas ao ensino, à saúde ou a qualquer atividade de negócio, têm como razão primeira a geração de um bem para a sociedade. O lucro, conforme citado, é uma consequência do negócio e, merece destaque, uma consequência estritamente necessária, mas não sua razão primeira.
ADCERecentemente a Associação de Dirigentes Cristãos Empresariais – ADCE-MG, em parceria com a CNBB, iniciou o desenvolvimento de um Projeto denominado Empresa com Valores. O objetivo consiste em propiciar um amadurecimento dos participantes fazendo com que valores como a ética, a solidariedade, a justiça e a primazia do ser humano sobre o trabalho provoquem uma reflexão profunda nas empresas, gerando assim fortes impactos positivos nos meios organizacionais e na sociedade. A proposta inclui fazer com que o líder empresarial comprometa-se de maneira responsável com o sucesso da empresa à luz dos princípios da dignidade humana e do bem comum e que suas ações passem a ser sustentadas pelo tripé básico ver, julgar e agir. Ver e julgar segundo conceitos radicalmente humanitários e cristãos e agir de forma consciente, entendendo que sua vocação deve ser motivada por princípios sustentáveis, muito além especificamente do sucesso financeiro.
john_mackeyÉ bom observar que, apesar do entendimento de muitos descrentes, este conceito já vem sendo assimilado por alguns grandes empresários. Recentemente, John Mackey, presidente de uma das maiores redes de supermercados americanas, a Whole Foods, afirmou claramente na mídia: “não há nada de errado em lucrar, mas essa não é a função primordial de um negócio e sim sua consequência”. Na mesma linha, Dominic Barton, Diretor geral da Consultoria McKinsey, uma das maiores consultorias mundiais em termos de estratégia organizacional, afirmou: “para o capitalismo prosperar, as empresas precisam urgentemente abandonar o foco exclusivo nos acionistas para servir consumidores e funcionários”.
Estes senhores não estão sozinhos; Peter Drucker, considerado o Pai da Administração nos tempos modernos,PETER DRUCKER sabiamente afirma: “uma organização que visa o lucro é, não apenas falsa, mas também irrelevante. O lucro não é a causa da empresa, mas sua validação. Se quisermos saber o que é uma empresa, devemos partir de sua finalidade, que será encontrada fora da própria empresa”.
DOM HELDERÉ fato que os céticos e capitalistas selvagens irão ironicamente afirmar que isto tudo não passa de um sonho muito distante da realidade. A eles eu diria, recordando D. Helder Câmara: “nada de sonhar pequeno! Gosto de pássaros que se apaixonam pelas estrelas e voam em sua direção até cair de cansaço”… Quem tem ouvidos, que ouça!

AS MELHORES EMPRESAS PARA SE TRABALHAR NO BRASIL

MELHORES 2013Todo ano a Revista Você S/A divulga a relação das 150 Melhores Empresas para se trabalhar no Brasil. Em 2013, o Google foi classificado em primeiríssimo lugar. O resultado faz jus às elevadas práticas de gestão de pessoas da empresa. Para comprovar, basta conferir a extensa e arrojada lista de benefícios que a empresa concede para seus empregados:

-Vai malhar? Reembolso de R$180,00 por mês.

-Teve filhos? Os novos pais recebem R$600,00 para as despesas com alimentação nos primeiros 90 dias do bebê e os homens ganham 04 semanas de licença paternidade.

-É novato? O empregado recebe R$100,00 só para decorar a mesa de trabalho.

-Vai usar internet? O empregado tem R$112,00 de reembolso.

-Indicou um colega e ele foi contratado? Recebe R$5.000,00 pela indicação.

-Quer estudar? Recebe até R$16.000,00/ano para despesas com educação.

-Presente de final de ano? Um smartphone para todos os empregados.GOOGLE

Isso tudo sem contar que os salários são 23% superior à média de mercado, além de horário de trabalho flexível, ambientes confortáveis e customizados com salas de jogos e entretenimentos, cantos com poltronas, pufes e redes para um rápido cochilo e estúdio com instrumentos musicais para os aspirantes a músico.

VOLVOMas os destaques não param por aí. A Volvo, classificada com a melhor do setor auto indústria e desde 2005 fazendo parte da lista, apresenta um Índice de Felicidade no Trabalho (IFT) de 89,5, em uma escala de “0” a “100” pontos. Em 2012 todos os empregados receberam um piso de R$21.397,90 em função das metas alcançadas. Em 2013, a previsão é de R$30.000,00! Ao lado da fábrica, há uma associação dos empregados com 134.000 metros quadrados, aberta também aos familiares. Além de quadras esportivas, salão de festas, bar e restaurante, há academia com aulas de ioga e trilhas para caminhada e corrida! Cada empregado recebe mais de 40 horas de treinamento por ano e seu quadro de pessoal exibe uma elite intelectual rara de se encontrar nas empresas brasileiras, com um número considerável de graduados, mestres e doutores.

Vem a pergunta que não que se calar: quem não gostaria de trabalhar em empresas como essas?

O problema é que no Brasil, de uma maneira geral, existe uma mentalidade retrógrada de que gestão de pessoas está na relação dos custos e não dos investimentos. O lucro desmesurado está acima de tudo: o fim justifica os meios. Raciocínios desumanizantes e totalmente equivocados! O que se perde com contratações mal feitas, práticas autoritárias, assédio moral, “turnovers” elevados, falta de treinamento, empregados não capacitados, desestruturação salarial, clima organizacional “infernalizado” entre outros, representam quantias incomensuráveis que se perdem pelo ralo. Não é à toa que o Google e as 150 melhores empresas para se trabalhar no Brasil apresentam uma rentabilidade sobre o patrimônio líquido de 10 pontos percentuais acima das 500 maiores empresas do País. Os dados falam por si só, não são necessários maiores comentários. Ambiente de trabalho humanizado é uma premissa para elevação da produtividade. Bom seria que as lideranças empresariais voltassem aos bancos das faculdades e revissem (se é que já viram) o quanto as Teorias Motivacionais de Maslow e Herzberg aplicadas na prática estão diretamente relacionadas ao aumento da rentabilidade e compreendessem que realmente investir em pessoas dá bons resultados! Se você quiser se aprofundar sobre o assunto, é só nos contatar.

PALESTRA GESTÃO DE CARREIRA & MARKETING PESSOAL EM RAPOSOS. VOCÊ É MEU CONVIDADO!

PALESTRA REDE CIDADÃ - JAN13