Posts Tagged ‘ motivação ’

GESTÃO DE PESSOAS E SOLUÇÕES ORGANIZACIONAIS

Não importa o tamanho da sua empresa, em qual área você atua ou qual sua formação, importa sim que você trabalha com pessoas e precisa de pessoas para desenvolver seu trabalho, qualquer que seja. Toda empresa precisa de contratar, treinar, avaliar, motivar, manter um bom clima organizacional, respeitar a legislação trabalhista, remunerar, avaliar, gerir benefícios e demitir pessoas, embora muitos dirigentes não tenham consciência da importância de uma boa gestão desses processos para sua organização. O fato é que se esses processos não forem geridos de maneira eficaz, certamente sua empresa irá arcar com pesadas consequências que impactam fortemente nos resultados e você pode não estar percebendo isso.

Você consegue contratar a pessoa certa, para o lugar certo, de forma adequada, no momento certo e  com um custo adequado para suas vagas em aberto? Seus empregados possuem as competências necessárias para gerar resultados atrativos para sua empresa? Como anda o nível de motivação dos seus empregados? Como anda o clima na sua empresa?  O salário que você paga para seus empregados é compatível com o mercado? Você possui um sistema  formal de avaliação de seus empregados? Quais os benefícios você concede para seus empregados? Você gerencia bem esses benefícios? A quantas anda o passivo trabalhista da sua empresa? Qual o índice de turnover da sua empresa?

A Cesarius oferece soluções inteligentes em termos de gestão de pessoas para você e sua empresa, com respostas práticas para todas essas perguntas.

No período de 09 a 12/12/14 estaremos desenvolvendo o CURSO DE FORMAÇÃO DE ANALISTAS DE RECURSOS HUMANOS com o objetivo de capacitar profissionais para atuarem nessa área. Além disso, a Cesarius também desenvolve vários outros cursos correlacionados e trabalha com Consultoria, Coach e apresentação de Palestras Motivacionais com conteúdos customizados para eventos institucionais. Faça contato conosco! http://www.caesarius.com.br

CESARIUS SOLUÇÕES

Anúncios

CULTURA ORGANIZACIONAL: BEM-VINDO AO INFERNO!

O ano era 2005 e eu acabava de assumir uma Gerência Corporativa de Recursos Humanos em uma empresa familiar na grande São Paulo. Logo que cheguei à cidade, fiquei hospedado em uma residência de propriedade da organização em um condomínio de luxo e, no outro dia cedo, o motorista foi me buscar. Tão logo ele chegou e estacionou o veículo ao lado da pomposa residência, entrei e desejei-lhe um bom dia, estendendo-lhe a mão, sorridente e animado.

O motorista olhou para mim com um certo olhar de desprezo, tocou minha mão estendida com um toque desvivificado e, friamente, respondeu-me: -Bom dia! Bem-vindo ao inferno! Por um breve momento senti-me como se estivesse levado uma pancada. Tentei ainda conservar meu sorriso, mas ele foi desaparecendo de maneira pausada. Recolhi minha mão gelada que tinha sido por ele tocada. Tentei organizar minhas idéias e, nesta tentativa, perguntei-lhe, de forma meio desconcertada:-Como assim, “bem-vindo ao inferno”! Ele, secamente, respondeu-me:-Rapidinho o senhor vai saber! Logo, logo o senhor me fala…O trajeto era curto e ele não comentou mais nada. Chegamos à empresa, passei pela portaria e entrei no “inferno”. Para minha infelicidade, o motorista falara a verdade…

A narrativa acima poderia ser de um filme de terror ou de uma estória dramática, mas infelizmente trata-se de uma realidade! Uma dura e traumática realidade! Pobre dos trabalhadores que precisam sobreviver em empresas como esta, totalmente desprovidas de ética e de civilidade! E o pior é que elas existem, e são muitas por aí espalhadas!…

Gustavo Boog, em seu livro “O Desafio da Competência” desenvolve, de uma maneira muito acertada, uma belíssima abordagem sobre cultura organizacional e, entre os vários tipos de cultura citados, descreve um que denomina de “Inferno Organizacional”. É o tipo característico da empresa em que a busca pelo lucro maquiavélico impera de forma intransigente e desenfreada! Não existe respeito pelas pessoas nem pelas leis e o investimento em tecnologia e processos é inexistente ou escasso. O autoritarismo e o medo são práticas desveladas, tornando a mão-de-obra cada vez mais escravizada.  Os salários são baixos e as condições de trabalho ruim, evidentemente com exceções para algumas classes privilegiadas. O índice de acidente de trabalho é elevado e as punições de caráter extremado: advertências, suspensões e justas-causas são mecanismos altamente utilizados. O critério de seleção e de promoção dos empregados é subjetivo, normalmente ligado a questões pessoais e, por que não dizer, sexuais. São empresas que não possuem organogramas, mas “orgasmogramas”, jargão utilizado de maneira pernóstica e velada por alguns membros de uma cúpula depravada.  Neste contexto, algumas figuras femininas dotadas de atributos físicos excepcionais e desprovidas de competências profissionais, são facilmente encontradas ocupando cargos de direção, com salários em patamares elevados.

Em ocasiões especiais, o poderoso chefão se traveste de “pai-dos-pobres” e promove o “pão e o circo” para a alegria da galera obinubilada. São festas regadas a cerveja e churrasco, onde ele senta-se em uma mesa rodeada de puxa-sacos, distribuindo brindes para a peãozada. No final da festa, tudo se transforma em um verdadeiro carnaval e na segunda-feira, com uma baita ressaca e preocupado com os exageros praticados, volta o trabalhador inseguro ao trabalho, temeroso do que o aguarda!…

A princípio pode parecer muito surrealista este quadro, mas, com certeza, vários leitores que já passaram ou passam por esta infernal etapa compreendem exatamente o que estou falando e sabem do que se trata.

Surge então no ar uma pergunta que não quer se calar: até quando organizações deste tipo vão continuar???

Boog cita ainda no seu livro, um tipo de cultura que denomina de “Nirvana” ou “Paraíso Organizacional”. São tipos de empresas que investem de maneira séria, respeitosa e sistemática na valorização e desenvolvimento de seus empregados, tanto quanto investe na melhoria de seus processos e na obtenção de resultados, não só de curto, mas também de médio e longo prazo. Estas empresas estabelecem a primazia do ser humano sobre o capital. Renomados estudiosos sobre o assunto, entre eles o Peter Drucker, considerado “O Pai da Administração” e o próprio Boog, não tem dúvidas em afirmar que o sucesso de qualquer empresa está relacionado a uma gestão ética, participativa e socialmente responsável e, além disto, ao respeito, ao reconhecimento e à motivação dos empregados. Empresas que não agem assim, com certeza, estão fadadas ao fracasso!

Enfim, Nirvana ou Inferno Organizacional? Vale à pena refletir: Como empresário, em qual tipo de empresa a sua se enquadra? Tem certeza? O que diriam seus empregados se pudessem livremente se expressar?

Como empregado, em qual tipo de empresa você trabalha? Já se perguntou qual o seu papel nisto tudo e o que você está fazendo para reverter ou contribuir para este quadro, se for o caso?

INVISTA NO SEU AUTO-DESENVOLVIMENTO!

A Caesarius está com sua agenda de Cursos para julho de 2011 aberta! São Cursos de Formação de Analistas de Recursos Humanos, Analistas de Recrutamento e Seleção, Analistas de Cargos e Salários, Liderança e Técnicas Eficazes de Apresentação em Público! Veja a Programação no link abaixo e faça já a sua inscrição! Participe conosco!

PROG JUL 11

LIDERANÇA E QUALIDADE

Liderança e Qualidade são dois temas que estão em alta nos últimos tempos. As organizações são movidas por pessoas e pessoas precisam de líderes e de líderes que trabalhem com qualidade total: qualidade nos processos, produtos e serviços, qualidade nos relacionamentos, qualidade na comunicação, qualidade ambiental, qualidade de vida!

Se você você deseja se aprofundar no assunto procure a Caesarius (www.caesarius.com.br). A Caesarius disponibiliza permanentemente todos os meses Cursos de curta duração (15 horas) voltados para Liderança, Motivação e Desenvolvimento de Equipes e Gestão Estratégica de Qualidade. Na proxima semana, de 21 a 25/02/11, no horário de 14hs00mins às 17hs00mins, estaremos trabalhando Liderança, Motivação e Desenvolvimento de Equipes e no horário de 19hs00mis às 22hs00mins estaremos trabalhando Gestão Estratégica de Qualidade. Participe conosco e seja um líder de sucesso!

AFINAL, O QUE É MOTIVAÇÃO???

Em qualquer discussão sobre resultados, trabalho em equipe, superação e mudanças na empresa, a motivação aparece como base que sustenta os objetivos. As empresas ainda cometem muitos erros nas estratégias motivacionais. Às vezes, elas representam apenas uma perda de tempo e de recursos. Para manter os funcionários motivados e produtivos, é preciso boa intenção e algumas ações criativas. A motivação é um processo interno dinâmico, como explica o consultor e especialista em gestão de pessoas, Júlio César Vasconcelos:

Motivação, como o próprio nome indica, significa ter um “motivo para ação”. E aí, vem a pergunta que não quer se calar: como motivar um empregado? A resposta é clara: imagine uma empresa que paga salários bem acima da média de mercado, possui um programa de benefícios arrojado, o clima organizacional é saudável, as lideranças são participativas e os empregados têm liberdade total de expressão, existe oportunidade de crescimento para todos, investe de maneira sistemática e permanente no desenvolvimento de seus empregados e as condições de trabalho são perfeitas. Certamente, com toda certeza, os empregados desta empresa estão motivados, têm “motivos para ação” em prol do aumento de produtividade e lucratividade desta empresa. Esta empresa é uma empresa de sucesso! Agora imagine o contrário: a empresa paga salários bem abaixo da média de mercado, não disponibiliza nenhum benefício, o clima organizacional é ruim, os líderes são autoritários e os empregados têm medo de se manifestar, não existe oportunidade de crescimento e as condições de trabalho são péssimas. Certamente, de forma contrária à anterior, com toda certeza os empregados desta empresa não estão motivados, não “têm motivos para a ação” em prol do aumento de produtividade e lucratividade. Esta não é uma empresa de sucesso e a médio longo prazo está fadada ao fracasso! Portanto, a conclusão é lógica: a motivação é a chave do sucesso de qualquer organização! E você, em qual empresa está inserido? Qual o seu nível de motivação? Se você está ou possui uma empresa semelhante a segunda empresa citada, está na hora de mudar! É bom lembrar que só prêmios em dinheiro não têm efeito motivacional. Elogios, desafios de acordo com a capacidade das pessoas e um bom ambiente de trabalho são fatores motivacionais básicos e não custam muito.

Este comentário foi postado na Rádio CBN/BH no Programa da Tereza Goulart,  Vida Executiva  http://busca.globo.com/Busca/cbn/?query=VIDA%20EXECUTIVA . Se você ou sua empresa deseja se aprofundar sobre o assunto, entre em contato com a Caesarius www.caesarius.com.br.

EXCELÊNCIA NO ATENDIMENTO

É impossível falar em excelência no atendimento aos clientes se as organizações não tiverem consciência da importância da criação e manutenção de um clima organizacional com um padrão de qualidade elevado . Qualquer empregado só atenderá realmente bem aos seus clientes se, internamente, estiver satisfeito com sua condição de trabalho.  Salários adequados, participação nos resultados, assistência médica e odontológica, boas condiões de transporte, alimentação farta e saudável, liberdade de expressão, gestão participativa, relacionamento saudável, oportunidade de crescimento, boa infraestrutura e recursos disponíveis são condições essenciais para manter os empregados motivados e motivação é sinônimo de trabalho bem feito e atendimento de classe. Se você deseja investir no clima organizacional da sua empresa e no padrão de atendimento aos seus clientes, aumentando sua produtividade, procure a Caesarius que nós o ajudaremos a fazer parte de um time de classe! “Clientes podem demitir todos os empregados de uma empresa, do alto executivo ao ajudante, simplesmente gastando seu dinheiro em outro lugar” (Sam Walton – Fundador da Wal-Mart). Vale a pena refletir!…

PALESTRAS MOTIVACIONAIS E MAGIA BARATA

MÁGIOCRecentemente tive oportunidade de participar de uma palestra em Belo Horizonte sobre desenvolvimento de equipes, promovida por uma entidade renomada da capital. O auditório, muito bem estruturado estava repleto de universitários, professores, gerentes, consultores e micro-empresários, entre outros. Confesso que o que vi me deixou preocupado, para não dizer enfastiado. Subiu ao palco uma figura que conseguiu transformar um tema sério e de suma importância em um verdadeiro show de futilidades. Com ares de showman, estampa esguia e alongada, emoldurado por um terno bem vincado, com um microfone de astronauta em frente à boca, iniciou esfuziante sua auto-apresentação, repleta de auto-elogios e vazia de conteúdo e significado. E um show circence, estilo “caldeirão-domingão” começou a ser apresentado!

O figurão, como um pastor evangélico alucinado, começou a descer para a platéia e subir ao palco, circulando freneticamente pelos corredores e vomitando sobre a galera, em alto e bom tom, frases de efeito e de nenhum resultado prático. Os recursos midiáticos, com tecnologia de ponta, eram fantásticos: enquanto ele falava, de tempos em tempos apertava o botão de um controle remoto e o power-point no lap-top emitia imagens coloridas e impactantes através de um projetor multimídia em três telões estrategicamente bem colocados. Seu timbre de voz aumentava e diminuía circunstancialmente potencializado pelo eco produzido por enormes caixas de som bem distribuídas pelo salão.

Os efeitos de magia barata abriram seu espaço! Com um estalar de dedos, arrancou fogo da orelha de um participante embasbacado, adivinhou naipes de cartas de baralho num truque velho e desgastado e, para a infelicidade de alguns pobres “voluntários”, levou-os ao palco submetendo-os a situações ridículas para o exercício de sua curandeiragem. Depois, com uma lupa enorme na frente da cara saiu feito detetive idiotizado procurando não sei o quê entre a platéia meio que hipnotizada e outras babaquices mais que nem valem a pena de serem citadas. A todo instante pedia uma salva de palmas e sorria largamente, mantendo seu ego sempre inflado! No final, agradeceu a platéia e apresentou no telão seu e-mail, telefone, blog, site, enfim todos os contatos para continuar vendendo sua magia barata! Isto tudo em nome de conceitos clássicos, mal enxertados e comentados, como teoria da motivação, liderança, assertividade, empowerment, feed-back, energização de equipes e outras pérolas mais.   

Fico pensando onde vamos parar! O que tenho observado, infelizmente, é que este tipo de profissional vem se alastrando como praga pelo mercado. Temos que estar atentos, muitos oportunistas vem ocupando de maneira tragicômica este espaço e cobrando verdadeiras fortunas para vender suas veleidades! São ex-jogadores de futebol que mal conseguem se expressar, ex-professores, treinadores dos mais variados esportes e até generais, que acham que gerir pessoas é a mesma coisa de que comandar os recrutas na caserna. Neste rol entram também médicos (que viram mágicos), piadistas, camelôs, baleiros, pipoqueiros, formando um cardápio extenso é variado! Seus locais preferidos são os congressos, as feiras, os seminários e os eventos internos promovidos pelas empresas, despejando as pílulas mágicas que vão resolver todos os problemas motivacionais! Aproveitam para distribuir o maior número possível de cartões de visita para continuar vendendo seu cambalacho! Recolhem os contatos e dias depois entopem regularmente e insistentemente a caixa de entrada do e-mail dos pobres coitados através de um marketing abusivo tomando o tempo e a paciência de quem está ocupado! O negócio é empurrar de toda maneira sua magia barata!

Como se não bastasse a enxurrada de livros de auto-ajuda, com soluções imediatistas e mágicas, cheios de segredos despejados de maneira mercenária na mão dos menos avisados, agora surge mais esta onda no mercado.

Gestão de Pessoas e Psicologia Organizacional são ciências e não podem de maneira inconseqüente ser banalizados. Gerir pessoas é coisa séria! Não podemos permitir que falsos profetas, de maneira ridícula, contaminem e ridicularizem um tema de tão elevada importância!

 

Julio César Vasconcelos

Maio de 2009