SUSTENTABILIDADE: OS 3P’S E 1S

3 P'S 1SMuito se tem falado sobre sustentabilidade nos últimos tempos. O Papa Franscisco escreveu uma Encíclica, a Laudato Si (Louvado Seja), exclusivamente para tratar do assunto. O Consultor britânico John Ellkington, considerado o decano da sustentabilidade, criou o conceito do Triple Bottom Line ou dos 3P’s, embasado em três grandes pilares: econômico (Profit), social (People) e ambiental (Planet). Elkington afirma que não se pode falar em sustentabilidade se faltar um destes três pilares: a falta de estabilidade econômica e do retorno financeiro gera o fracasso, a falta de investimento no social e no desenvolvimento e valorização das pessoas gera a miséria e a falta de preocupação com o meio ambiente e com o planeta gera a degradação ambiental e catátrofes.
O Consultor foi extremamente feliz com a criação deste conceito, mas a realidade tem nos demonstrado de forma dura e severa que somente os 3 P’s não bastam, é necessário acrescentar ao conceito mais 1S, o S de “Spirituality”, espiritualidade.
Segundo Guimarães Penna, a espiritualidade pode ser definida como uma propensão humana a buscar significado para a vida por meio de conceitos que transcendem o tangível, à procura de um sentido de conexão com algo maior que si próprio. Eu vou mais além, espiritualidade para mim é a crença profunda em um ser superior e a relação que estabelecemos com este ser, traduzindo-se esta relação de forma visceral em uma vocação amorística, humanitária, holística, que traz sentido para a vida e nos arranca do vazio existencial que toma conta do nosso ser.
O econômico, o social e o ambiental não se sutentam se não houver espiritualidade; a vida não faz sentido. Alguns exemplos dramáticos podem ser citados. A Suiça, considerado um dos países mais desenvolvidos do mundo, possui um elevado índice de suicídios, 11,2 por 100 mil habitantes, segundo o site swissinfo.ch. Um estudo da London School of Economics publicado no jornal online PLOS ONE revelou que o uso de antidepressivos em 29 países europeus subiu em média 20% por ano, entre os anos de 1995 e 2009. Estudos de especialistas da University of Warwick, na Grã-Bretanha e nos Estadoos Unidos revelaram que países mais “felizes” têm maiores taxas de suicídio. São países onde a população tem um padrão de vida muito elevado, são economicamente estáveis, o capital privado e o estado investem fortemente no social, a pobreza praticamente foi erradicada e são referência em termos de conservação e preservação ambiental, mas falta-lhes o principal, a espiritualidade.
Os 3 P’s, Profit, People, Planet sem o 1S, Spirituality por si só não geram a sustentabilidade. O investimento no social por si só torna-se um ato vazio se não houver uma profunda preocupação com o investimento na essência do ser humano. A ex-primeira ministra norueguesa Gro Brundtland definiu desenvolvimento sustentável como a capacidade de suprir as necessidades do presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem suas próprias necessidades. Belíssimo o conceito trazido por ela, mas eu pergunto, sem espiritualidade haverá gerações futuras?…

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: