DIÁRIO DE LISBOA III: RESULTADOS DO ENEM, PIERRE BOURDIER E PAULO FREIRE

DIÁRIO DE LISBOA IIIMeu relógio biológico, influenciado pelo impacto do fuso horário, levou-me acordar ontem após o horário programado. Tive que me arrumar às pressas e pegar um taxi para chegar à Universidade. Mesmo assim ainda consegui chegar no horário.
A primeira Disciplina do cronograma foi Teorias da Mudança Social e a Mudança Educativa. A professora já começou a aula abrindo um debate sobre o tema e eu mergulhei de ponta cabeça no assunto. Trouxe nos meus alfarrábios um recorte de jornal com uma estatística do resultado do ENEM 2015. A matéria afirmava que os alunos melhores classificados foram justamente os de classe alta e que frequentavam as melhores escolas particulares do Brasil, evidentemente as mais caras e inaccessíveis aos jovens das classes menos abastadas.
Pierre Bourdier, um famoso estudioso francês da área de educação, desenvolveu uma teoria chamada Teoria da Reprodução, onde afirma que os sistemas tradicionais de ensino nada mais fazem que reproduzir os sistemas de castas sociais, ou seja, normalmente os jovens que são provenientes de famílias com maior poder aquisitivo, são os que tiram as melhores notas, são melhores classificados, frequentam as melhores faculdades e conseguem se formar nas profissões mais rentáveis. Pelo contrário, aqueles que são provenientes de famílias de menor poder aquisitivo, são os que não conseguem tirar as melhores notas, não são bem classificados, frequentam faculdades menos qualificadas (quando frequentam) e acabam se formando em profissões menos rentáveis (quando se formam). E assim o sistema se reproduz indefinidamente. ENEM…
Paulo Freire, reconhecido com um dos maiores educadores que passaram pelas terras brasileiras, apresenta a solução, trazendo o conceito de educação libertadora, onde o estudante, independentemente da classe social a que pertença, passa a ser o protagonista da sua história em um sistema educacional participativo, politicamente engajado, emancipador e libertador, muito diferente do sistema classificatório e excludente que infelizmente temos na nossa realidade. Falando sobre mudanças, ele afirma:
“O discurso da impossibilidade de mudar o mundo é o discurso de quem, por diferentes razões aceitou a acomodação, inclusive por lucrar com ela. A acomodação é a desistência da luta pela mudança. Falta a quem se acomoda, ou em quem se acomoda e fraqueja, a capacidade de resistir”.
Quem tem ouvidos, que ouça…

  1. Lógico que muitas coisas tratam-se de um processo de “despertar”; penso, porém, que além de ensinar a pensar, devemos tentar conscientizar as pessoas ao nosso redor à uma realidade diferente: ao invés de vitimização (a culpa é sempre do outro ou de alguém) observar e tratar a realidade com responsabilidade (que não se trata de culpa: trata-se de feedback e aprendizado). A mudança desse paradigma com certeza fará com que muitos acordem e AJAM da forma que têm que agir para mudar suas próprias vidas, sem depender (ou depender tanto) dos outros.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: