PALESTRAS MOTIVACIONAIS E MAGIA BARATA

MÁGIOCRecentemente tive oportunidade de participar de uma palestra em Belo Horizonte sobre desenvolvimento de equipes, promovida por uma entidade renomada da capital. O auditório, muito bem estruturado estava repleto de universitários, professores, gerentes, consultores e micro-empresários, entre outros. Confesso que o que vi me deixou preocupado, para não dizer enfastiado. Subiu ao palco uma figura que conseguiu transformar um tema sério e de suma importância em um verdadeiro show de futilidades. Com ares de showman, estampa esguia e alongada, emoldurado por um terno bem vincado, com um microfone de astronauta em frente à boca, iniciou esfuziante sua auto-apresentação, repleta de auto-elogios e vazia de conteúdo e significado. E um show circence, estilo “caldeirão-domingão” começou a ser apresentado!

O figurão, como um pastor evangélico alucinado, começou a descer para a platéia e subir ao palco, circulando freneticamente pelos corredores e vomitando sobre a galera, em alto e bom tom, frases de efeito e de nenhum resultado prático. Os recursos midiáticos, com tecnologia de ponta, eram fantásticos: enquanto ele falava, de tempos em tempos apertava o botão de um controle remoto e o power-point no lap-top emitia imagens coloridas e impactantes através de um projetor multimídia em três telões estrategicamente bem colocados. Seu timbre de voz aumentava e diminuía circunstancialmente potencializado pelo eco produzido por enormes caixas de som bem distribuídas pelo salão.

Os efeitos de magia barata abriram seu espaço! Com um estalar de dedos, arrancou fogo da orelha de um participante embasbacado, adivinhou naipes de cartas de baralho num truque velho e desgastado e, para a infelicidade de alguns pobres “voluntários”, levou-os ao palco submetendo-os a situações ridículas para o exercício de sua curandeiragem. Depois, com uma lupa enorme na frente da cara saiu feito detetive idiotizado procurando não sei o quê entre a platéia meio que hipnotizada e outras babaquices mais que nem valem a pena de serem citadas. A todo instante pedia uma salva de palmas e sorria largamente, mantendo seu ego sempre inflado! No final, agradeceu a platéia e apresentou no telão seu e-mail, telefone, blog, site, enfim todos os contatos para continuar vendendo sua magia barata! Isto tudo em nome de conceitos clássicos, mal enxertados e comentados, como teoria da motivação, liderança, assertividade, empowerment, feed-back, energização de equipes e outras pérolas mais.   

Fico pensando onde vamos parar! O que tenho observado, infelizmente, é que este tipo de profissional vem se alastrando como praga pelo mercado. Temos que estar atentos, muitos oportunistas vem ocupando de maneira tragicômica este espaço e cobrando verdadeiras fortunas para vender suas veleidades! São ex-jogadores de futebol que mal conseguem se expressar, ex-professores, treinadores dos mais variados esportes e até generais, que acham que gerir pessoas é a mesma coisa de que comandar os recrutas na caserna. Neste rol entram também médicos (que viram mágicos), piadistas, camelôs, baleiros, pipoqueiros, formando um cardápio extenso é variado! Seus locais preferidos são os congressos, as feiras, os seminários e os eventos internos promovidos pelas empresas, despejando as pílulas mágicas que vão resolver todos os problemas motivacionais! Aproveitam para distribuir o maior número possível de cartões de visita para continuar vendendo seu cambalacho! Recolhem os contatos e dias depois entopem regularmente e insistentemente a caixa de entrada do e-mail dos pobres coitados através de um marketing abusivo tomando o tempo e a paciência de quem está ocupado! O negócio é empurrar de toda maneira sua magia barata!

Como se não bastasse a enxurrada de livros de auto-ajuda, com soluções imediatistas e mágicas, cheios de segredos despejados de maneira mercenária na mão dos menos avisados, agora surge mais esta onda no mercado.

Gestão de Pessoas e Psicologia Organizacional são ciências e não podem de maneira inconseqüente ser banalizados. Gerir pessoas é coisa séria! Não podemos permitir que falsos profetas, de maneira ridícula, contaminem e ridicularizem um tema de tão elevada importância!

 

Julio César Vasconcelos

Maio de 2009

    • Cláudio Fortier
    • 21 agosto, 2009

    Um alerta contundente para os incautos. Obrigado!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: